Categorias
Cotidiano

Segway-Ninebot Apex H2 é moto elétrica com hidrogênio como combustível

A Segway-Ninebot revelou na China a Apex H2, sua moto elétrica que utiliza hidrogênio como combustível. O modelo faz parte de um crowdfunding que visa produzi-lo até 2023, e pode ser adquirido por aproximadamente 9000 Euros.

Ao contrário do que muita gente diz, não é a Xiaomi que está lançando o modelo. A Xiaomi é apenas uma das empresas acionistas da Ninebot (uma das maiores, junto com Intel, Sequoia Capital e Fundo Soberano de Cingapura, entre outras).

A Segway Apex H2 é uma moto elétrica com design muito ousado e futurista. Os pneus são bem largos, inclusive o dianteiro, o que deixa a moto com aparência de modelos utilizados em filmes de ficção científica.

Mas, o ponto de maior discussão no modelo, é o combustível utilizado: hidrogênio. O modelo chega com cartuchos de hidrogênio líquido, o que facilita a troca e recarga, de acordo com a empresa.

Apesar disso, não está claro qual o sistema que será utilizado para converter o hidrogênio em energia elétrica. Geralmente utiliza-se célula de combustível, mas ainda não há informação oficial.

A Segway informa que o modelo pode ser capaz de atingir uma velocidade máxima de 150 km/h, uma aceleração de 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos e potência máxima em torno de 60kW.

Enfim, a Segway Apex H2 já pode ser reservada, mas a previsão de entrega é para 2023, se o crowdfunding atingir o mínimo de 99 pedidos.

fotos: divulgação

fonte via

Categorias
Cotidiano Notícias Triumph

Fase 2 do Projeto Triumph TE-1 é finalizado: moto elétrica da marca britânica

A Triumph anunciou o término da fase 2 do projeto Triumph TE-1, focado no desenvolvimento de tecnologia especializada em motocicletas elétricas e soluções integradas inovadoras.

O projeto Triumph TE-1 é uma colaboração entre a Triumph Motorcycles, Williams Advanced Engineering, Integral Powertrain Ltd e WMG na Universidade de Warwick, financiado pelo Escritório para Veículos com Emissão Zero do governo britânico.

Incluindo inovação no design da bateria e do trem de força, os resultados de desempenho do teste inicial excedem em muito os benchmarks atuais e as metas da indústria.

Desenvolvimentos em desempenho, eficiência e alcance estão permitindo que o Projeto TE-1 cumpra totalmente os objetivos da parceria para aumentar a credibilidade e o perfil da indústria britânica, fornecendo contribuições substanciais para a estratégia futura de motocicletas elétricas da Triumph.

  • Anunciando a conclusão da Fase 2 – com a revelação do protótipo da bateria e do trem de força, resultados iniciais de desempenho de alto nível e os primeiros desenhos de conceito do projeto para a motocicleta Protótipo do Projeto TE-1 que será criado no final da próxima fase.
  • As principais realizações do projeto até o momento incluem resultados de testes que mostram inovação significativa em massa, tecnologia de bateria e desempenho do trem de força que excede a meta definida pelo Conselho Automotivo do Reino Unido para 2025, atendendo aos ambiciosos objetivos do projeto de fornecer inovação genuína para um novo padrão em totalmente utilizável desempenho de motocicleta elétrica.
  • O Projeto TE-1 é uma colaboração única entre quatro importantes líderes acadêmicos e da indústria do Reino Unido – Triumph Motorcycles, Williams Advanced Engineering, Integral Powertrain Ltd. e-Drive Division e WMG da University of Warwick.
  • O objetivo deste projeto de dois anos é focado no desenvolvimento de capacidades de motocicletas elétricas – fornecer uma contribuição para a oferta futura de motocicletas elétricas da Triumph, impulsionando a inovação, capacidade e nova propriedade intelectual, aumentando a credibilidade e o perfil da indústria e design britânicos.
  • O Projeto TE-1 é financiado pelo Escritório do Governo do Reino Unido para Veículos de Emissão Zero (OZEV) e entregue por meio da Innovate UK

“A conclusão da Fase 2 e os resultados promissores alcançados até o momento fornecem uma visão empolgante do futuro elétrico em potencial e mostram o talento e a inovação desta colaboração britânica única. Sem dúvida, o resultado deste projeto terá um papel significativo em nossos esforços futuros para atender à ambição e desejo de nossos clientes de reduzir seu impacto ambiental e para um transporte mais sustentável”, disse Nick Bloor, CEO da Triumph.

“Este importante projeto fornecerá uma das bases para nossa estratégia futura de motocicleta elétrica, que está focada em entregar o que os motociclistas desejam da sua Triumph; o equilíbrio perfeito entre desempenho, manuseio e usabilidade no mundo real, com o genuíno caráter Triumph”, completou.

Protótipo será usado como “mula” de teste

A Triumph anunciou que, com a finalização da fase 2, agora irá desenvolver uma moto protótipo que será usada como “mula” de teste na fase 4 (final).

Além disso, com o anúncio acima, aproveitou para apresentar os primeiros desenhos do protótipo, tanto da transmissão quanto do design final da moto.

A moto elétrica da Triumph apresenta um design bem agressivo, com rabeta extremamente curta (geralmente os desenhos de protótipos e conceitos são bem ousados, mas se adequam à realidade quando lançados). Ela não passa a impressão de ser uma moto elétrica.

O conjunto ótico frontal lembra outros modelos da marca, como a Speed Triple 1200 RS e a Street Triple.

Sobre o motor elétrico, eles informam no vídeo do anúncio que ele é capaz de gerar até 180 CV de potência máxima de pico. A bateria possui capacidade de 15kWh. Não há informação se esses números são finais, portanto, pode mudar até o lançamento da moto.

Enfim, só para termos uma ideia, a moto elétrica Zero SR/S possui motor de 110 CV de potência máxima de pico, com bateria de 14.4 kWh.

fotos: divulgação

fonte

Categorias
Cotidiano Honda Notícias

Honda, KTM, Piaggio e Yamaha formam consórcio para criar padrão de baterias substituíveis

A Honda anunciou hoje que a empresa assinou uma carta de intenções com a KTM AG, Piaggio & C SpA e Yamaha Motor Co., Ltd. para estabelecer um Consórcio de Baterias Substituíveis para Motos e Veículos Elétricos Leves.

No contexto do Acordo Climático de Paris e da transição para a eletromobilidade, os membros fundadores do Consórcio acreditam que a disponibilidade de um sistema padronizado de bateria trocável promoveria o uso generalizado de veículos elétricos leves e contribuiria para uma gestão do ciclo de vida mais sustentável de baterias utilizadas no setor de transportes.

Além disso, ao estender o alcance, encurtar o tempo de carregamento e reduzir os custos de veículos e infraestrutura, os fabricantes tentarão responder às principais preocupações dos clientes em relação ao futuro da eletromobilidade.

O objetivo do Consórcio será, portanto, definir as especificações técnicas padronizadas do sistema de bateria trocável para veículos pertencentes à categoria L; ciclomotores, motocicletas, triciclos e quadriciclos.

Ao trabalhar em estreita colaboração com as partes interessadas e organismos de normalização nacionais, europeus e internacionais, os membros fundadores do Consórcio estarão envolvidos na criação de normas técnicas internacionais.

O Consórcio iniciará suas atividades em maio de 2021. Os quatro membros fundadores incentivam todas as partes interessadas a se unirem à cooperação para enriquecer a experiência do Consórcio.

Noriaki Abe | Diretor Administrativo, Operações de Motos, Honda Motor Co., Ltd.

“O esforço mundial de eletrificação para reduzir o CO2 em escala global está se acelerando, especialmente na Europa. Para a adoção generalizada de motocicletas elétricas, problemas como distância de viagem e tempos de carregamento precisam ser resolvidos, e baterias substituíveis são uma solução promissora. Considerando a conveniência do cliente, a padronização de baterias substituíveis e a ampla adoção de sistemas de bateria são vitais, razão pela qual os quatro fabricantes membros concordaram em formar o Consórcio.”

“A Honda vê a melhoria do ambiente de uso dos clientes como uma área para explorar a cooperação com outros fabricantes, enquanto traz melhores produtos e serviços aos clientes por meio da competição. A Honda trabalhará duro em ambas as frentes para ser o fabricante ‘escolhido’ para a mobilidade do cliente.”

fotos: divulgação

fonte

Categorias
Cotidiano

Harley-Davidson LiveWire estabelece novo recorde mundial em arrancada

A Harley-Davidson LiveWire estabeleceu novos recordes de tempo de arrancada e velocidade máxima em uma motocicleta elétrica de produção em linha durante um evento de corrida de arrancada no dia 4 de setembro.

Angelle Sampey, pilota da equipe Harley-Davidson Screamin’ Eagle/Vance & Hines e três vezes campeã do Pro Stock Motorcycle, bateu o recorde mundial, correndo o oitavo de milha (201,2 metros) em 7,017 segundos, e o curso completo de quarto de milha (402,3 metros) em apenas 11,156 segundos, a 177,59 km/h.

A velocidade máxima da motocicleta LiveWire 2020 é limitada a 177 km/h.

Os recordes aconteceram durante as corridas da competição Denso Spark Plugs NHRA U.S. Nationals, que ocorreu na Lucas Oil Raceway, em Indianapolis, nos Estados Unidos.

Esse é mais um grande passo para o futuro na busca da Harley-Davidson em liderar a eletrificação de motocicletas.

“Deixe-me contar o que é mais incrível. Esta foi a primeira vez que andei com uma LiveWire, e eu não esperava a hora para colocá-la na pista. A LiveWire é muito fácil de conduzir. Basta girar o acelerador e pronto, você realmente vai!”, disse Angelle Sampey.

Angelle e seus companheiros de time na Harley-Davidson Screamin’ Eagle/Vance & Hines, Andrew Hines e Ed Krawiec, fizeram várias corridas de arranque lado a lado em modelos LiveWire, e Angelle conseguiu os melhores tempos.

Ela é a mulher que mais venceu na história do automobilismo, com três campeonatos Pro Stock Motorcycle (2000-2002) e 43 vitórias no Pro Stock de motocicletas.

Como é a Harley-Davidson LiveWire

A Harley-Davidson LiveWire é um modelo totalmente novo e elétrico, projetado para oferecer aos condutores uma experiência emocionante e de alto desempenho, com um novo nível de tecnologia, além de ser um modelo com visual premium e com a mesma sensação de qualquer produto Harley-Davidson.

A LiveWire é capaz de acelerar rapidamente com apenas um rodar do acelerador – sem necessidade de embreagem ou troca de marchas.

O torque instantâneo fornecido pelo motor H-D Revelation permite uma potente aceleração desde o ponto de partida; a motocicleta LiveWire consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 3,0 segundos e de 100 a 129 km/h em 1,9 segundos.

Como o torque máximo está sempre disponível, a aceleração a qualquer velocidade é excelente. Um centro de gravidade otimizado, quadro de alumínio rígido e componentes de suspensão ajustáveis premium proporcionam à LiveWire uma dirigibilidade dinâmica.

Com uma autonomia de até 235 quilômetros, a performance é otimizada para os motociclistas urbanos.

O motor elétrico H-D Revelation produz uma mínima vibração e pouco calor e ruído, o que aumenta o conforto do condutor e cria uma experiência de condução única, mesmo em uma pista de arrancada.

O modelo LiveWire não está disponível no Brasil. A rede de concessionárias autorizadas da marca no País dispõe de um exclusivo programa de Test Ride, de acordo com a disponibilidade dos modelos na rede e seguindo as recomendações dos governos estaduais e municipais em relação aos cuidados com a saúde.

Para registrar seu interesse, acesse o site https://change-your-ride.harley-davidson.com/pt_BR/home e inscreva-se.

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Honda Notícias

Honda pode estar trabalhando em moto elétrica com estrutura da CB 125R

A Honda pode estar trabalhando em uma moto elétrica, com a estrutura da ‘Neo Sports Café’ CB 125R, de acordo com dados de patente. A “pequena” CB 125R possui desenho retrô-moderno e é vendida na Europa.

No desenho da patente, é visível o uso quase que completo da estrutura da CB 125R. É possível ver que o motor elétrico é extremamente pequeno e estreito, o que deixaria um bom espaço para a bateria e outros equipamentos.

Honda CB 125R

Não há informação de desempenho mas, como a estrutura utilizada é o de uma moto de 125 cc, podemos assumir que o conjunto mecânico elétrico fornecerá desempenho similar, com foco no uso urbano do dia a dia.

A Honda não é uma novata no segmento elétrico. Ela já produz e comercializa a PCX Elétrica em alguns países da Ásia, modelo que é equipado com bateria removível.

A Honda CB 125R é uma moto ‘naked’ de entrada, voltada diretamente para jovens pilotos preocupados com o estilo. Ela possui um motor refrigerado a líquido responsivo, caixa de câmbio de seis velocidades e um novo chassi composto de estrutura tubular / aço prensado.

Além disso, há suspensão dianteira invertida de 41 mm, pinça frontal de 4 pistões de montagem radial e disco flutuante. Uma especificação aprimorada inclui iluminação totalmente LED, display LCD e freios ABS.

Enfim, temos que aguardar por mais informações. Mas, considerando o desenho da patente, podemos assumir que o projeto possa estar em estágio avançado. Uma moto elétrica com as características da CB 125R não é uma má ideia.

fotos: divulgação

fonte1 fonte2

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Harley-Davidson elétrica LiveWire cruza Estados Unidos em viagem

O dono de uma motocicleta elétrica da Harley-Davidson, a LiveWire, cruzou os Estados Unidos de ponta a ponta, em uma viagem de mais de 2.250 quilômetros, com a moto.

Diego Cardenas, um residente da Califórnia, esperava passar o dia 30 de junho de 2020 na Espanha comemorando seu 50º aniversário. Neste momento, porém, ele sabia que precisaria de um novo plano.

Pensando nisso, ele incluiu sua paixão dentro de uma viagem que lhe permitiu manter o distanciamento social, além de proporcionar um momento memorável e único.

Em seu novo plano de viagem, montado em sua motocicleta LiveWire, percorreu um trajeto entre a fronteira mexicana dos EUA e a canadense usando a West Coast Green Highway, também conhecida como WCGH.

A WCGH é uma rede de estações de carregamento rápido (DC) de veículos elétricos localizadas a cada 40 ou 80 quilômetros ao longo da Interstate 5 e outras estradas principais dos estados de Washington, Oregon e Califórnia.

“Eu queria fazer parte da história da Harley-Davidson e permitir que meus futuros netos pudessem falar sobre como o avô deles foi o primeiro proprietário de motocicletas elétricas H-D a fazer esse passeio”, disse Cardenas. “Eu queria mostrar ao mundo que a infra-estrutura de carregamento elétrico está crescendo e ser uma inspiração para que outros experimentem andar em uma moto elétrica como a LiveWire.”

Viagem de mais de 2.250 quilômetros

Em 22 de junho, Diego iniciou sua viagem épica com sua LiveWire, partindo de San Ysidro, na Califórnia (EUA). Ele andou mais de 2.250 quilômetros e, em seu aniversário de 50 anos, em 30 de junho, alcançou seu objetivo chegando à cidade fronteiriça canadense de Blaine, no estado de Washington.

Ao longo do caminho, ele realizou transmissões ao vivo (lives) reportando o seu progresso nas redes sociais, nas quais os fãs que seguiram sua jornada puderam encontrá-lo pessoalmente e torcer por ele. Ele também fez muitas paradas ao longo do caminho para passear com a esposa e a filha de oito anos, que estavam viajando de carro e acompanhando o motociclista em seu percurso.

“A viagem foi inacreditável, uma ótima jornada”, disse Cardenas. “A West Coast Green Highway é uma ideia muito boa; existem tantas opções que você pode ter certeza de que vai chegar onde precisa ir. Além disso, se você parar, mas não conseguir usar um carregador, terá outros adicionais por perto. É incrível demais! Por favor, espalhe a palavra, pois isso é tão factível. Se você tem uma motocicleta elétrica ou qualquer outra moto, saia e ande durante esses tempos difíceis. Fazer uma viagem, nesses momentos estressantes, ajuda a liberar sua mente e corpo para ver coisas novas.”

A jornada de Cardenas pode ser encontrada neste link. Ele também é o fundador e criador dessa página, na qual sua principal missão é reunir proprietários de veículos elétricos e não elétricos para fazer perguntas, obter ideias e apoiar a comunidade de motociclistas de veículos elétricos.

Como é a Harley-Davidson LiveWire

A Harley-Davidson LiveWire é a primeira de uma linha totalmente elétrica da marca, e que oferece aceleração emocionante, manuseio ágil, materiais e acabamentos premium e um conjunto completo de ajudas e interfaces eletrônicas para uma experiência totalmente conectada.

Além disso, ela acelera de 0 a 100 km/h em aproximadamente 3,5 segundos e possui uma autonomia de 110 milhas (177 km) com apenas uma carga. Como não possui embreagem ou marchas, basta apenas girar o acelerador para arrancar, com torque instantâneo.

De acordo com eles, essa moto foi feita para ser divertida de guiar, com um centro de gravidade extremamente baixo, devido ao posicionamento de seu motor e bateria. Além disso, conta com controles eletrônicos, como o ABS de curva e controle de tração, entre outros.

Enfim, a LiveWire foi lançada nos Estados Unidos por US$ 29.799 (aproximadamente R$ 154 mil) e está prevista para chegar ao Brasil mas, por causa da pandemia do novo coronavírus, pode atrasar.

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Esta moto elétrica possui sistema que reproduz som de motores 2 tempos

O que acha de andar por aí com um ronco de motor 2 tempos, mas em cima de uma moto moderna, totalmente elétrica, sem óleo e combustível? A 2electron, uma empresa italiana, está trabalhando numa moto elétrica com um sistema capaz de reproduzir sons de motores 2 tempos.

De acordo com informações iniciais, será possível escolher um motor dois cilindros, dois tempos, de 1989 com 60 CV a 12.500 rpm, um de quatro cilindros de 600cc de 1999 com 100 CV a 13.000 rpm ou um de dois cilindros de 800cc de 2004 com 77 CV a 9.500 rpm. A informação na página inicial da start-up é de que qualquer motor pode ser reproduzido.

A tecnologia é chamada de McFly e a moto conceito de ‘Emula’, em referência a ‘emulador’.

Funciona da seguinte forma: O motor elétrico e o sistema McFly emulam desempenho, número de engrenagens, proporção, dispensação, sons e vibrações de um número quase infinito de motores à combustão.

A virtualização criada pelo McFly permite dar ao mesmo motor elétrico o comportamento de diferentes motores a combustão, selecionáveis através de um display simples.

O McFly também permite que você pilote com impacto sonoro “zero”, enviando o som do motor para o interfone do capacete: zero emissões locais e zero ruído externo, mantendo uma experiência completa de condução.

Enfim, de acordo com a empresa, o sistema está sendo desenvolvido para ajudar o segmento de motos elétricas, pois o mercado de veículos elétricos de duas rodas está crescendo mais lentamente do que o mercado de 4 rodas. A causa se deve principalmente à falta de interesse dos motociclistas por motocicletas elétricas, que são “acusadas” de não criarem as mesmas emoções que as dos motores convencionais.

Então vamos aguardar para que esse sistema chegue ao mercado, num futuro próximo.

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Verge TS: A moto elétrica futurista de melhor design até agora?

A Verge Motorcycles está aceitando pedidos para a sua primeira moto elétrica, chamada de Verge TS. Com design futurista, será esta a moto elétrica de melhor desenho até agora?

A Verge Motorcycles é uma start-up finlandesa que, nas palavras deles, “quer ultrapassar os limites de design e funcionalidade na indústria de motocicletas.”

De fato, a Verge TS possui um design único, destaque para a roda traseira, sem eixo central, ou seja, o motor elétrico é integrado à roda, deixando um ‘vazio’ onde comumente temos o eixo e o cubo da roda.

De acordo com eles, a troca do pneu pode ser feita com as ferramentas tradicionais.

O motor exclusivo atinge uma potência de pico de 80 kW (107 CV) e produz 1000 Nm (102 kgfm!!) de torque. A Verge TS irá acelerar até uma velocidade máxima limitada de 180 km/h e a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em menos de 4 segundos.

A autonomia da moto pode atingir 300 km na cidade (200 km na estrada) e o tempo de carregamento total é de 4 horas (50 minutos com carregador DC de carregamento rápido).

Essas são as primeiras informações divulgadas pela empresa. Através das fotos, podemos ver que ela terá duplo disco de freio na dianteira com pinças Brembo, suspensões da Öhlins e iluminação em LED.

Enfim, a Verge TS não é barata. Eles estão cobrando 2000€ (R$ 12.600) de sinal via depósito, com preço final de 24990€ (R$ 157.500). Só para comparar, a Harley-Davidson LiveWire custa a partir de US$ 29.799 (R$ 173.800).

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Kawasaki Notícias

Kawasaki nos estágios finais da sua primeira esportiva elétrica

A Kawasaki pode estar nos estágios finais da sua primeira moto esportiva elétrica, de acordo com vídeos publicados no canal oficial da marca, no YouTube.

De acordo com os vídeos, a moto será carenada seguindo o estilo Ninja, com partes da Ninja 400 e da Ninja 1000SX. Além disso, parte da mecânica parece que veio da Z400 e Z650.

Veja também: Kawasaki lança esportiva de 250 cc e 4 cilindros chamada de ZX-25R

Essa nova moto já recebeu até um nome: Endeavor. Com isso, espera-se que esse projeto esteja de fato em estágios finais, realizando os testes necessários para depois, ganhar as ruas.

Alguns rumores dizem que o motor elétrico terá potência equivalente a 26 CV, o que pode ser pouco para uma esportiva, mas imaginamos essa nova moto para uso diário na cidade, com uma pegada esportiva. Como muitos sabem, o enorme torque instantâneo dos motores elétricos é o que entusiasma. Se essa potência se confirmar, ainda acreditamos que outras versões mais potentes serão lançadas.

Além disso, já foi confirmado pela Kawasaki que a Endeavor terá câmbio manual de 4 marchas, o que não é muito comum no mundo das elétricas.

As grandes fabricantes de motos elétricas (Zero, Enérgica e até a Harley-Davidson), utilizam transmissão direta, sem câmbio. A única que vimos, até o momento, que utiliza câmbio manual e embreagem em uma das suas motos elétricas, é a chinesa Horwin, que recentemente chegou ao Brasil.

Enfim, teremos que aguardar por mais informações sobre o modelo, pois a Kawasaki está liberando pouca coisa a cada semana.

fotos: divulgação

fonte

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Esportiva elétrica da Zero já é realidade. Conheça a Zero SR/S

A Zero irá lançar oficialmente a primeira esportiva da marca, a Zero SR/S, dia 24 de fevereiro. Totalmente carenada, o modelo é baseado na “naked” SR/F, a top da marca norte-americana de motos elétricas.

Apesar das carenagens e apelo esportivo, a posição de pilotagem é bem relaxada e confortável, com pedaleiras avançadas e assento largo.

As carenagens ajudam também a ficar protegido do vento e da chuva, além de melhorar a aerodinâmica e, com isso, permitem uma autonomia maior, com uma carga na bateria.

De acordo com a empresa, esse modelo carenado oferece 13% a mais de eficiência aerodinâmica em relação ao modelo “naked”.

Com isso, a autonomia passa a ser de 161 milhas (259 km) na cidade, 82 milhas (132 km) na estrada e 109 milhas (175 km) no uso combinado.

O motor da Zero SR/S é o ZF 75-10 refrigerado a ar, com potência equivalente a 110 CV e 19 kgfm de torque. A bateria é de 14.4kWh e é recarregada de 0% até 95% em 4 horas, usando o carregador standard fornecido. Com um carregador opcional, o tempo cai para 2 horas e pode cair até 1 hora com um outro acessório.

A Zero SR/S é equipada com suspensões Showa totalmente ajustáveis, controle de tração e ABS de curva, além de outros equipamentos eletrônicos, e possui um peso total de 229 kg.

Enfim, ela será vendida na Europa por aproximadamente R$ 110 mil e não há previsão para o Brasil.

fotos: divulgação

fonte

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Damon Hypersport, superesportiva elétrica de até 320 km/h e 200 CV

A Damon Motorcycles está lançando a Hypersport, uma superesportiva elétrica com top speed de 320 km/h, 320 km de autonomia e potência de 200 CV.

De acordo com a marca, a moto é capaz de ir de 0 a 100 km/h em menos de 3 segundos. Os dados de desempenho são estimados, dependendo de fatores. A empresa definiu a moto como “200”, em referência (em Inglês) a 200 mph de top speed, 200 milhas de autonomia, 200 hp de potência e 200 nm de torque.

A Damon Hypersport é uma moto do futuro, pois possui inteligencia artificial e conexão 4G para oferecer alertas de perigos, melhorar a pilotagem e até mudar a posição de pilotagem.

Chamado de CoPilot™, este é um avançado sistema de alertas em 360°, com radares e câmeras, que escaneiam a pista para saber tudo o que há em volta. Com isso, ele te avisa de veículos em pontos cegos e outros perigos na via, através de vibrações no guidão, luz de LED no para-brisa e visão FullHD da traseira da moto, direto na tela digital.

Outra tecnologia, chamada de Shift™, permite a mudança da posição de pilotagem enquanto estiver pilotando, bastando apenas acionar um botão. É possível modificar posição do guidão, pedaleiras, para-brisa e altura do assento.

A versão top da Hypersport, chamada de “Premier”, será limitada a apenas 25 unidades e terá, além dos itens acima, freios Brembo, suspensões Öhlins e balança traseira em fibra de carbono.

Enfim, a Damon Hypersport já está aceitando reservas e o preço estimado é de aproximadamente US$ 26 mil (R$ 105 mil).

fotos: divulgação

fonte

via

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Cotidiano Notícias

Newron EV-1: Uma moto feita de madeira, couro e eletricidade

O que acha de uma moto feita de madeira, couro e eletricidade? Essa é a aposta da Newron Motors, com o anúncio da EV-1. Ela utiliza materiais orgânicos na sua composição e eletricidade, energia amiga do meio ambiente.

A Newron Motors foi fundada em 2016 na Europa e pretende lançar apenas 12 unidades da EV-1, já em 2020. Com isso, a moto será exclusiva, quase uma obra de arte.

Algumas especificações já foram divulgadas. A Newron EV-1 terá um motor elétrico com potência equivalente a 102 CV e torque instantâneo de 24,4 kgfm. Espera-se que essa moto seja capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 3 segundos e que sua autonomia fique em torno de 185 milhas (300 km).

Em termos de design, fica evidente o grande uso de madeira, principalmente compondo o “esqueleto” da moto, praticamente “abraçando” as baterias. Estas se rotacionam quando a moto está em movimento, representando a “passagem do tempo”, de acordo com a Newron.

Sendo uma moto exclusiva e uma obra de arte, a chave é uma “joia” (de acordo com a empresa) e possui fragmentos de madeira ou titânio, utilizados na produção da moto. Com isso, você sempre terá um pedaço da sua moto.

Enfim, ainda não há uma estimativa de preço mas, para quem gosta de exclusividade e pensa no meio ambiente, a Newron EV-1 é uma boa opção.

fotos: renderização divulgação

Veja também os Mais Populares:

fonte

Categorias
Cotidiano Notícias Salão Duas Rodas

Horwin, nova marca de motos elétricas, chega ao Brasil

A Horwin, uma fabricante chinesa de motos elétricas, anunciou sua chegada ao Brasil. A estréia será no Salão Duas Rodas 2019 quando serão apresentadas duas motos e uma scooter, esta última, exclusiva para o mercado brasileiro.

A Horwin trará ao Brasil a moto elétrica CR6, a CR6 Pró, a Ranger e a scooter SK3. A CR6 e CR6 Pró são basicamente a mesma moto, mas com velocidade e autonomia diferentes. A Ranger é uma versão on/off-road estilo Kasinski CRZ ou Sundown STX (ambas extintas).

A Horwin CR6 possui desenho um pouco mais puxado para o estilo Café Racer e retrô. Farol, lanterna, espelhos e painel são redondos. O assento é totalmente plano, característico de Café Racers. Mas, toda a iluminação é de LED e o painel conta com conta-giros (?) e tela LCD.

Ela possui motor de 7.2 kW de potência, bateria de Lítio da Panasonic com autonomia de 130 km e velocidade máxima de 95 km/h.

Já para a Horwin CR6 Pró, não foi informado se o motor e bateria são os mesmos, mas sim que a velocidade máxima salta para 105 km/h e a autonomia atinge 150 km.

Outro diferencial dessa moto elétrica (modelo CR6 Pró) para a concorrência, é a presença de um câmbio de 5 velocidades e embreagem, para uma condução mais prazerosa. Isso mesmo, você troca de marchas como faz numa moto com motor à combustão.

A Horwin Ranger, como mencionado, é uma moto on/off-road estilo Kasinski CRZ ou Sundown STX. Ela possui motor e autonomia mais modestos, sendo o motor de 6 kW de potência e autonomia variável, ou seja, se você andar a 45 km/h com 1 bateria, a autonomia é de 70 km. Já se você andar a 20 km/h com 2 baterias, a autonomia é de até 200 km.

Enfim, teremos que aguardar o lançamento no Salão para mais informações, inclusive sobre o preço.

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Harley Davidson Notícias

Produção e vendas da Harley-Davidson LiveWire são retomadas

A Harley-Davidson informou que irá retomar a produção da LiveWire, sua primeira moto elétrica. Ela tinha interrompido a produção da LiveWire após a descoberta de uma falha nas verificações finais de qualidade.

Ela tinha informado ter encontrado uma “condição fora dos padrões”, provavelmente na recarga das baterias.

Agora, a empresa informa que concluiu “uma análise rigorosa”, e que as entregas da LiveWire serão retomadas. A Harley ainda afirma que “os clientes podem continuar andando com a moto e podem carregá-la através de todos os métodos disponíveis para isso”.

A LiveWire ainda não é vendida no Brasil, mas está planejada para chegar em 2020.

Como é a Harley-Davidson LiveWire

De acordo com a marca, essa é a primeira de uma linha totalmente elétrica, e que oferece aceleração emocionante, manuseio ágil, materiais e acabamentos premium e um conjunto completo de ajudas e interfaces eletrônicas para uma experiência totalmente conectada.

A LiveWire 2020 acelera de 0 a 100 km/h em aproximadamente 3,5 segundos e possui uma autonomia de 110 milhas (177 km) com apenas uma carga. Como não possui embreagem ou marchas, basta apenas girar o acelerador para arrancar, com torque instantâneo.

De acordo com eles, essa moto foi feita para ser divertida de guiar, com um centro de gravidade extremamente baixo, devido ao posicionamento de seu motor e bateria. Além disso, conta com controles eletrônicos, como o ABS de curva e controle de tração, entre outros.

Enfim, nos Estados Unidos, a LiveWire é vendida por US$ 29.799 (R$ 123.000) e está prevista para chegar ao Brasil em 2020.

fotos: divulgação

fonte1

Veja também os Mais Populares:

Categorias
Harley Davidson Notícias

Harley-Davidson interrompe produção e vendas da LiveWire, sua moto elétrica

A Harley-Davidson acabou de interromper a produção e vendas da sua primeira moto elétrica, a LiveWire. De acordo com a agência Reuters, a medida foi tomada após a descoberta de uma falha nas verificações finais de qualidade.

A empresa informou ter encontrado uma “condição fora dos padrões”, provavelmente na recarga das baterias, de acordo com informações do site “solomoto”. Ainda, segundo o site, quem já possui a LiveWire pode continuar usando o modelo normalmente, mas não deve realizar a carga em casa, apenas nas concessionárias da marca.

A LiveWire ainda não é vendida no Brasil, mas está planejada para chegar em 2020. Com esse problema, talvez atrase um pouco.

A Harley está realizando testes e análises adicionais nas motos. Embora a montadora tenha dito que seus testes estão progredindo “bem”, ela não ofereceu um cronograma para quando a produção será retomada.

Como é a Harley-Davidson LiveWire

De acordo com a marca, essa é a primeira de uma linha totalmente elétrica, e que oferece aceleração emocionante, manuseio ágil, materiais e acabamentos premium e um conjunto completo de ajudas e interfaces eletrônicas para uma experiência totalmente conectada.

A LiveWire 2020 acelera de 0 a 100 km/h em aproximadamente 3,5 segundos e possui uma autonomia de 110 milhas (177 km) com apenas uma carga. Como não possui embreagem ou marchas, basta apenas girar o acelerador para arrancar, com torque instantâneo.

De acordo com eles, essa moto foi feita para ser divertida de guiar, com um centro de gravidade extremamente baixo, devido ao posicionamento de seu motor e bateria. Além disso, conta com controles eletrônicos, como o ABS de curva e controle de tração, entre outros.

Enfim, nos Estados Unidos, a LiveWire é vendida por US$ 29.799 (R$ 123.000) e está prevista para chegar ao Brasil em 2020.

fotos: divulgação

fonte1 fonte2

Veja também os Mais Populares: