Ducati conquista milésimo pódio no WorldSBK, marca nunca alcançada por nenhum outro fabricante

Compartilhar

A Ducati está comemorando o pódio 1000 no mundial de superbike WorldSBK, conquistado na corrida 1 em Most, dia 30 de julho, na rodada da República Checa.

Alvaro Bautista conquistou a vitória com sua moto Panigale V4 R, marcando o milésimo pódio para a fábrica de Borgo Panigale, marca que nunca foi alcançada por nenhum outro fabricante.

Neste momento, Bautista lidera o campeonato, com 31 pontos de vantagem para o segundo colocado, o hexacampeão Jonathan Rea (Kawasaki), e 38 para o terceiro e atual campeão, Toprak Razgatlioglu (Yamaha).

Apesar do bom resultado da Panigale V4 até aqui, o modelo da Ducati que mais venceu na categoria foi 916/996/998, com 120 vitórias no total, a maior parte delas conquistadas por Carl Fogarty e Troy Bayliss, duas lendas do motociclismo.

Portanto, o fabricante de Borgo Panigale escreveu a história do Campeonato do Mundo de Superbike reservado às máquinas de produção, desempenhando constantemente o papel principal com seis gerações de motos super desportivas que conquistaram um total de 383 vitórias.

Veja abaixo um pouco da história da marca no WorldSBK:

O WorldSBK viu a Ducati presente e vitoriosa desde a primeira edição em 1988, com Marco Lucchinelli na moto 851 vencendo em Donington a primeira rodada já disputada.

Apenas dois anos depois, em 1990, Raymond Roche obteve o primeiro título mundial da Ducati em Superbike com a 851. Nos dois anos seguintes, Doug Polen replicou o sucesso e a Ducati rapidamente se tornou a moto mais popular no grid do Campeonato do Mundo, vencendo o título de construtores em 1991, 1992 e 1993.

A temporada de 1994 marcou o início da era de Carl Fogarty e da Ducati 916 que venceu por duas temporadas consecutivas. Em 1996 foi Troy Corser quem deu um sexto título de pilotos à Ducati. Em 1998 e 1999 “Foggy” – Carl Fogarty – ganhou mais dois títulos, elevando seu número total de vitórias para 55 e se tornando o piloto mais vitorioso da história pilotando as Superbikes de Borgo Panigale.

troy bayliss ducati worldsbk

Em 2000, o bastão foi entregue a outra lenda da Ducati, Troy Bayliss, que conquistou três títulos com a Rosse em Superbike – 2001, 2006, 2008 – tornando-se o único piloto capaz de vencer com três gerações diferentes de superbikes Ducati: a 998, 999 e 1098.

Entretanto, Neil Hodgson e James Toseland conquistaram mais dois títulos de pilotos (2003 e 2004), e em 2011 Carlos Checa conquistou o título de campeão com o 1198.

A 851 E O NASCIMENTO DO DESMOQUATTRO

A história da Ducati Superbikes é paralela à das SBK. A 851, nascida como um protótipo de 748cc das mentes de Massimo Bordi e Gianluigi Mengoli com base nos pilares técnicos da Ducati – cilindro L-twin, distribuição desmodrômica, quadro treliça – foi a primeira Ducati Superbike, equipada com o novo Desmoquattro de quatro válvula por cilindro do motor.

O deslocamento foi aumentado para 888 centímetros cúbicos com um aumento do furo. O modelo mudou de nome em 1992, adaptando-se à nova cubatura. Para muitos entusiastas, foi com o 851 que nasceu a Ducati da era moderna: tecnologicamente avançada, vermelha e extraordinariamente de alto desempenho.

No total, a família 851/888 conquistou três títulos de pilotos (1990 com Raymond Roche, 1991 e 1992 com Doug Polen) e três títulos de fabricantes: 1991, 1992 e 1993. De 1990 a 1994, obteve 78 vitórias e 170 pódios.

A 916 E A LENDA DE FOGARTY

Em outubro de 1993, a Ducati deixou todos sem palavras ao apresentar a 916, uma moto capaz de traçar um sulco separando o “antes” do “depois”. A 916 era enxuta, ágil, potente, com linhas e soluções desenhadas por Massimo Tamburini – também conhecido como “Maestro” – ainda hoje atuais em sua síntese de beleza e eficácia segundo o conceito de forma-segue-função cujos descendentes são reconhecíveis na Panigale.

Com um chassi completamente revisado e um bicilíndrico Desmoquattro altamente evoluído, a 916 dominou todas as fórmulas em que correu.

Com o passar dos anos, o deslocamento aumentou. Em 1998, a Ducati lançou a 996, nome com o qual um modelo histórico como a 996 R estreou em 2001, equipado com o primeiro Testastretta de 998cc, cujos herdeiros ainda hoje podem ser encontrados nos modelos de dois cilindros da linha Ducati.

Em 2002, a 996 deu lugar à 998. Em sua versão padrão, a superbike Ducati passou de 114 cavalos de potência do primeiro 916 para 123 da 998.

A Ducati 916 é a mais bem sucedida das Ducati SBK e entre 1994 e 2003, com as suas versões 916, 996 e 998, conquistou oito títulos mundiais (incluindo quatro com o “Rei” Carl Fogarty), 122 corridas e levou os seus pilotos ao pódio em 311 ocasiões. E a 996 R é o modelo com o qual começou a carreira em vermelho de Troy Bayliss, a outra grande lenda da Ducati Superbike.

A DOMINAÇÃO DAS 999

A 999 chegou em 2003; com linhas inovadoras, uma versão evoluída do Testastretta e um chassi fortemente revisado. A superbike Ducati abandonou o braço oscilante de um lado, introduziu um farol sobreposto e o escapamento sob o assento foi integrado em um único silenciador.

É a Ducati Superbike com a maior relação vitórias/temporadas: em apenas cinco anos (a 1098 só começou a correr em 2008) alcançou 63 vitórias e três títulos mundiais com Neil Hodgson, James Toseland e Troy Bayliss. Seus pilotos subiram ao pódio 163 vezes.

1098, 1198 E TÍTULO DE CARLOS CHECA

Em 2008, os regulamentos permitiram que os motores de dois cilindros ultrapassassem o limite de cilindrada de um litro. A Ducati apresentou a 1098 já em novembro de 2006, continuando muitos dos elementos estilísticos e técnicos do 998. A unidade do farol dividido foi horizontal novamente, e o braço oscilante de um lado e o escapamento dividido sob o assento estavam de volta.

O bicilíndrico aumentou em potência até 160 cv e, atualizado em várias soluções técnicas derivadas da moto de MotoGP, especialmente nos aspectos térmicos, levou o nome de Testastretta Evoluzione.

A 1198 chegou em 2009, mais potente (170 cv) mas sobretudo equipada com o primeiro controle eletrônico de tração da Ducati. O deslocamento subiu para pouco mais de 1.198 centímetros cúbicos, e com ele veio o título de 2011, que foi conquistado pelo espanhol Carlos Checa. A 1098 e a 1198 marcaram 139 pódios entre 2008 e 2012, incluindo 52 vitórias.

ducati panigale v4 r 2019

FAMÍLIA PANIGALE

2012 viu a chegada da família Panigale, que estabeleceu novos padrões em termos de tecnologia, estilo e desempenho. Com a Panigale, a Ducati apresentou o motor Superquadro V-twin de 90° com distribuição desmodrômica com controle misto de corrente/engrenagem, gerenciamento de motor ride-by-wire, suspensão eletrônica Öhlins, mas também o quadro monobloco de alumínio com caixa de ar integrada.

Por fim, o estilo deu continuidade a elementos da tradição Ducati, modernizando-os e definindo uma linha – a da família Panigale – reconhecida como obra de arte e premiada com o Compasso d’Oro em 2014.

A evolução da 1299 em 2015 fez a Panigale dar mais um passo à frente, e com o modelo de 2015 o nome da versão “R” também mudou, passando a ser Panigale 1199 R, para indicar como o deslocamento do modelo de corrida permaneceu atrelado ao limite regulatório.

No final de 2017, a Panigale mais revolucionária de todos os tempos entrou em cena. Precedida pela apresentação do seu motor V4 Desmosedici Stradale, foi revelado a Ducati Panigale V4, alimentada pelo V4 de 90° com sincronização Twinpulse derivada da MotoGP e virabrequim contra-rotativo capaz de 214 CV de potência e 13 kgfm de torque para uma relação potência/peso de 1,1 hp/kg.

O chassi viu a introdução do Front Frame, que continuou a usar o motor como elemento de estresse. Com o modelo 2020 veio o pacote aerodinâmico baseado nas winglets introduzidos pela Ducati pela primeira vez na MotoGP em 2016 e a versão 2021 refinou ainda mais a eletrônica.

O modelo 2022 voltou a subir a barra de desempenho, com um gerenciamento eletrônico ainda mais sofisticado, um chassi mais eficaz, relações emprestadas da Panigale V4 R e um pacote aerodinâmico mais eficiente.

A família Panigale conquistou um total de 219 pódios ao longo de seus 10 anos de competição, incluindo 70 vitórias.

Enfim, para mais informações, acesse https://www.ducati.com/br/pt/home.

fotos: divulgação

Compartilhar

Marcelo Souza

Autor, Editor e Administrador do site MotoNews Brasil, formado em Ciências Contábeis, apaixonado por motos e tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo created by DesignEvo logo maker