Motos 2017: 20 lançamentos esperados para o 2º semestre no Brasil

Compartilhar
O 2º semestre de 2017 será recheado de lançamentos de motos no Brasil e a maioria delas estará no Salão Duas Rodas, de 14 a 19 de novembro, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.
Mesmo em declínio no país, com baixa de 21,9% no 1º semestre de 2017, muitas novidades são esperadas em todos os segmentos de motocicletas.
Entre as principais atrações, estará a linha de baixa cilindrada da BMW. Depois de certo atraso, enfim, a “pequena” G 310 R chega e também há a expectativa para a apresentação se sua variante aventureira, a G 310 GS.
Ainda no segmento de baixa cilindrada, a Dafra deve apostar na Apache RTR 200. A motocicleta, de origem indiana, já foi flagrada em testes no Brasil.
Outro modelo bastante aguardado é a Kawasaki Versys-X, modelo baseado na Ninja 300, mas com proposta on-off-road, ou seja, uma concorrente para a G 310 GS.
Subindo de cilindrada, a Ducati vai trazer ao Brasil a inédita Multistrada 950, um verdadeiro SUV de duas rodas, como uma opção de entrada para a linha Multistrada.
Do lado da Honda, as novidades com a renovação de CB 650F e CBR 650F, além da nova CBR 1000 RR Fireblade, que recebeu inúmeras atualizações.

BMW

G 310 GS
A BMW deve apostar de vez na sua linha de baixa cilindrada no Brasil. Além da naked G 310 R, a empresa vai lançar a “pequena aventureira” G 310 GS. Por suas suspensões mais longas e roda maior, o modelo deve se adaptar melhor às vias esburacadas brasileiras. Mantendo as linhas da lendária GS de maior cilindrada, o modelo tem motor de 34,4 cavalos e será produzido em Manaus.
G 310 R
A expectativa inicial era que a G 310 R chegasse ao Brasil em 2016, mas houve atraso e chegará em 2017. O modelo do estilo naked tem motor de 1 cilindro e 34,4 cavalos, mas uma proposta mais urbana que a da G 310 GS. Sua pré-venda começou e vale para as 100 primeiras unidades.
S 1000 XR
A BMW está renovando sua linha de 1.000 cc com motores de 4 cilindros no exterior. Dessa leva, a primeira a chegar foi a naked S 1000 R e depois a esportiva S 1000 RR. A próxima da lista será a crossover S 1000 XR. Entre as mudanças, está mais potência para S 1000 R e XR.

Dafra

Apache RTR 200
A indiana Apache RTR 200 foi flagrada rodando em testes no Brasil. Produzida pela TVS, parceira da Dafra no Brasil, a moto é uma evolução da Apache 150. Apesar de não confirmar que venderá a moto, a empresa brasileira diz que “acaba de reforçar a parceria” com a TVS, ou seja, as chance de vermos essa moto no Salão Duas Rodas 2017 é grande.

Ducati

Multistrada 950
A ideia da Ducati foi tornar a Multistrada uma moto mais acessível, por isso criou o modelo 950. Mais versátil com a roda de 19 polegadas na dianteira, a Multistrada 950 será estrela da marca no Salão Duas Rodas. O motor de 2 cilindros rende 113 cavalos de potência e o pacote eletrônico tem modos de pilotagem, controle de tração e freios ABS.
Monster 797
Depois do lançamento da Monster 821, a linha havia ficado sem uma representante mais acessível e com o tradicional motor refrigerado a ar. Esse será o espaço preenchido pela Monster 797, que utilizará o mesmo motor da Scrambler 800.
Supersport
Para tornar sua linha de esportivas mais acessível, a Ducati criou a Supersport. O nome foi resgatado do passado e o motor de 2 cilindros vem da linha Hypermotard: são 937 cc e 113 cavalos de potência.

Honda

CBR 1000 RR Fireblade
Apesar de a expectativa ser de uma nova geração, não foi exatamente isso o que aconteceu e a CBR 100 RR Fireblade foi atualizada. Mas mudanças importantes vieram, com a renovação do visual, aumento de 10 cavalos de potência, chegando a 190 cavalos, e redução de peso.
CB 650 F
A CB 650F, sucessora da Hornet, foi atualizada no último Salão de Milão e estas novidades também são esperadas para o Brasil. O visual ficou mais agressiva e o motor mais potente: são 4 cavalos a mais, chegando a 91 cavalos de potência.
CBR 650F
Seguindo as mudanças da CB 650F, a CBR 650F (versão carenada) também ficou mais potente e também mudou seu visual.

Indian

Dark Horse
A moto mais “sombria” da linha Indian está a caminho do Brasil: é a Dark Horse. O modelo, que aposta em visual negro em praticamente todas as suas peças, tem motor V2 de 1.819 cc.

Kawasaki

Versys-X 300
Além de BMW e Suzuki, a Kawasaki também apresentou o seu modelo para disputar no segmento das aventureiras de baixa cilindrada: é a Versys-X 300. Também utilizando o nome de motos de maior cilindrada, o modelo utiliza o mesmo motor da Ninja 300.
Z900
A Kawasaki também pode apostar nesta naked totalmente nova: a Z900. Seu motor de 948 cc foi derivado da Z100 e rende 126 cavalos de potência. O chassi também é novo e do tipo tubular de treliça.

KTM

390 Duke
A 390 Duke passou por sua primeira grande renovação e o espera é que isso também aconteça no Brasil. O visual mudou e agora está mais inspirado na 1290 Super Duke, ganhando novo farol bem mais agressivo na dianteira, além de novo desenho nas carenagens. O motor rende 44 cavalos de potência.
1290 Super Duke
O “monstro” entre as nakeds da KTM também está de cara nova e o visual ficou mais agressivo. Seu motor de 1.301 cc rende 177 cavalos de potência.

Royal Enfield

Himalayan
Novata no Brasil, mas com mais de 100 anos de história, a Royal Enfield inaugurou sua subsidiária no país este ano e 3 modelos já chegaram: Classic 500, Bullet 500 e Continental GT. Ainda sem a confirmação de data, o próximo modelo a vir deve ser a Himalayan. Ao contrário dos outros modelos da empresa, a moto aposta em visual mais moderno e no segmento aventureiro.

Suzuki

GSX-S 750
A naked deve substituir a GSR 750 trazendo freios ABS e 3 modos de controle de tração. Seu motor de 4 cilindros tem 749 cc e rende 106 cavalos de potência. O câmbio é de 6 marchas
GSX-R 1000
Depois de muita espera, a esportiva GSX-R 1000 foi completamente renovada. Com projeto novo no chassi, desenho e motor, a motocicleta chega agora a 202 cavalos de potência. Além disso, ganhou controle de tração.

Triumph

Street Triple
 Depois de investir muito em sua linha de motos clássicas Bonneville no Brasil, a britânica Triumph vai dar atenção também para as nakeds. Será a vez de renovar a sua naked Street Triple, que recebeu novo visual e incremento no motor. Derivado da esportiva Speed Triple, o propulsor de 3 cilindros e 765 cc pode render 123 cavalos de potência.

Yamaha

MT-09
A naked de 3 cilindros da Yamaha passou por sua primeira renovação, que foi revelada no Salão de Colônia 2016. Mantendo a base mecânica, o modelo simplesmente ficou a cara de sua irmã maior, a MT-10.
MT-10
A linha MT da Yamaha já está bem recheada com MT-03, MT-07 e MT-09 e a “cereja do bolo” pode ser a MT-10, revelada no Salão de Milão 2015. Baseada nada menos que na esportiva R1, a MT-10 tem uma cara de “Transformers”. A marca não confirma a vinda da moto ao país.
Tracer 700
A naked MT-07 tem uma irmã crossover no exterior: a Tracer 700, que pode desembarcar em breve no Brasil, apesar de a montadora não confirmar. Utilizando a mesma base com motor de 2 cilindros e 74,8 cavalos de potência, a moto ficou com um posicionamento mais elevado para os braços, recebeu carenagens laterais ao tanque e uma bolha de proteção.
X-Max 300
Com o segmento de scooters crescendo, mais novidades devem aparecer. O X-Max 300 seria uma opção para competir com Dafra Citycom 300i e Honda SH 300i. Seu motor de 1 cilindro rende 27,6 cavalos de potência.
Compartilhar
Logo made with DesignEvo