Honda atinge 10 anos de produção da tecnologia DCT para motos

Compartilhar

A Honda está marcando uma década desde que sua tecnologia Dual Clutch Transmission (DCT) apareceu pela primeira vez em sua linha de produtos de duas rodas.

Tendo aparecido pela primeira vez em concessionárias em toda a Europa na tourer esportiva VFR1200F, o sistema DCT da Honda permanece único no mundo dos veículos de duas rodas motorizados.

No total, mais de 140.000 motos com DCT foram vendidas na Europa e, em 2019, 45% de Africa Twins, 52% de NC750X e 67% de Gold Wings vendidos na Europa eram a versão DCT.

Seu sucesso deve-se em grande parte a uma evolução constante da tecnologia, com refinamentos na suavidade e na sincronização das mudanças de marcha e adaptações para corresponder às características de pilotagem exigidas de uma ampla gama de modelos diferentes.

Os exemplos incluem uma adição ‘G switch’ focada no off-road para a Africa Twin e a X-ADV, e a sincronização com ‘Hill Start Assist’, ‘Walking Mode’ e ‘Idling Stop’ no carro-chefe de luxo GL1800 Gold Wing.

O que é DCT?

DCT é uma embreagem eletro-hidráulica automatizada e caixa de câmbio de operação de mudança, compreendendo um par de pacotes de embreagem independentes alojados em uma unidade, cada um dos quais conectado a conjuntos de engrenagens separados – uma embreagem funciona com partida, 1ª, 3ª e 5ª marchas , a outra com 2ª, 4ª e 6ª marchas.

Honda Dual Clutch Transmission

As mudanças de marcha são feitas no modo manual pelo piloto usando os gatilhos de estilo ‘paddle-shift’ no guidão esquerdo, ou no modo automático de acordo com as programações de mudança ditadas por parâmetros constantemente monitorados, incluindo velocidade do veículo, rotação do motor e ângulo de abertura do acelerador.

Em ambos os casos, nenhuma alavanca de embreagem ou pedal é necessária. Durante uma mudança de marcha, quando uma embreagem desengata, a outra embreagem simultaneamente engata a marcha alvo para garantir uma mudança consistente, ultrarrápida e contínua, sem perda de tração para a roda traseira.

Além das vantagens naturais para uma pilotagem esportiva que isso traz, o DCT também permite que o piloto se concentre mais em sua linha de pilotagem, pontos de frenagem, curvas e aceleração.

Outros benefícios incluem a redução da fadiga do piloto, condução urbana de baixo estresse, a impossibilidade de estolar (deixar morrer) e grande redução da inclinação da motocicleta durante as mudanças de marcha.

fotos: divulgação

Veja também os Mais Populares:

Compartilhar

Marcelo Souza

Autor, Editor e Administrador do site MotoNews Brasil, formado em Ciências Contábeis, apaixonado por motos e tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo made with DesignEvo